• Thu. Dec 8th, 2022

Adidas venderá produtos Yeezy após cortar laços com Kanye West



A adidas disse que planeja continuar vendendo produtos Yeezy, mas sem a marca de Kanye West após o tumultuado fim de sua parceria de vários anos, informa o Insider.

O diretor financeiro Harm Ohlmeyer fez o anúncio durante uma chamada de ganhos trimestrais em 9 de novembro. “A adidas é a única proprietária de todos os direitos de design registrados para produtos existentes”, disse ele. “Pretendemos fazer uso desses direitos já em 2023.”

Ele não ofereceu detalhes, mas explicou: “Precisamos dedicar nosso tempo para revisar quais são as melhores opções. Quando for a hora certa, seremos mais concretos.” Ohlmeyer acrescentou que a empresa possui “todas as versões e novas cores. É o nosso IP.”

Uma exceção notável é o Yeezy Slide, para o qual Ye garantiu uma patente em 2020.

A adidas entrou em parceria com West em 2013, mas cortou os laços com o rapper e estilista em outubro, depois que ele fez uma série de comentários antissemitas. West também buscou o fim do sindicato depois que ele disse que a fabricante de roupas havia roubado seus designs. Em junho, ele reclamou de “um YEEZY falso feito pela própria Adidas”, depois que a empresa divulgou slides que, segundo ele, se assemelhavam ao Yeezy Slide.

Por sua própria admissão, West tornou-se cada vez mais antagônico. Em outubro lançou um documentário, Semana Anterior, em que tentou intimidar os executivos da adidas mostrando-lhes pornografia. Após a troca bizarra, um dos associados de Ye disse: “O que você está sentindo agora é um desconforto extremo, e esse é exatamente o ponto. Porque quando alguém rouba as ideias desse homem, suas criações, é como se você estivesse roubando uma criança. Estes são todos filhos de sua mente, e você os sequestrou.

O fim de seu lucrativo acordo com a adidas é a razão mais proeminente pela qual West perdeu US$ 1,5 bilhão em questão de semanas e não é mais bilionário. Alguns de seus fãs tentaram restaurar seu status de bilionário lançando campanhas GoFundMe de curta duração. West também entrou recentemente em uma discussão acalorada no jogo de futebol de seu filho, saindo antes do final da partida, e tentou vender roupas da White Lives Matter, mas não conseguiu porque dois homens negros possuem a marca registrada.